Historial

Remonta ao dia 30 de Novembro de 1990 quando em Braga, num estabelecimento de restauração, se escreveram as guias de acção jogralhesca.

Mas… quem são os Jograis? Artesões da palavra e da sátira, paladinos da justiça e da idoneidade: escrutinamos a política e seus actores enquanto pregamos a religião da qual Hugh Hefner (RIP) é soberano profeta; e normalmente, fazêmo-lo em simultâneo. Tendo como principal (e único!) objectivo a defesa da moral, dos valores e dos costumes da nossa sociedade e como arma os nossos textos, cheios de ironia e por vezes, mas só às vezes, de sarcasmo, procuramos chamar a atenção e corrigir (à nossa maneira…), os problemas ditos fulcrais do país; a título de exemplo, preocupamo-nos com a excessiva exposição ao sol das gravuras de Foz Côa!

Quantos políticos não já proferiram estas palavras: “Ah! Ter-me-ia safado com este esquema se não fossem aqueles malditos amarelos!…”; e de quantas mães já não se ouviu “É tão bom que a minha filhota namore um Jogral!” Ora, na verdade, não sabemos de nenhuma, mas as suas filhotas adoram-nos.

Num mundo em constante rebuliço, onde as notícias são mentira e o absurdo é subitamente verdade, há pouquíssimas fontes fidedignas para entender os meandros da nossa contemporaneidade. A saber: o nosso Facebook, o vasto acervo literário do qual somos autores e o insta da Érica Fontes.

Ao contrário do que se diz por aí, não temos pai, mas temos primas! Levamos muito a sério os provérbios populares! nosso lema é “bater a bem sem olhar a quem”; de duas maneiras: a torto e a direito e por duas razões, por tudo… e por nada! Somos o único Grupo de Jograis que foi 3 vezes à Irlanda! Representamos a nossa Cidade (Braga!), e o nosso país.

Regressamos apelidados de “Jokers” que em português significa: “É pá! Vocês são os Jograis mais giros e com mais piada que conhecemos!”

A qualidade que em nós mais apreciamos é a Modéstia!